Blog

[Exposição Mondrian: “Do figurativo ao abstrato”]

Exposição Mondrian: “Do figurativo ao abstrato”

Uma experiência de apreciação a Arte por meio do brincar

A importância do papel do brincar na Infância

A importância da brincadeira para o desenvolvimento Infantil Está inserida na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), sendo um dos seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento da criança:

1.       Conviver

2.       Brincar

3.       Participar

4.       Explorar

5.       Expressar

6.       Conhecer-se

A Brincadeira é, portanto, uma parte fundamental da aprendizagem e desenvolvimento da criança, momento em que ela exercita todos os seus direitos e estabelece contato com os campos da experiencia, como protagonista de seu desenvolvimento.

O momento da brincadeira é uma oportunidade de desenvolvimento para a criança. Através do brincar ela aprende, experimenta o mundo, possibilidades, relações sociais, elabora sua autonomia de ação e organiza suas emoções

O principal objetivo da brincadeira é explorar. Para as crianças tudo é experimento, a brincadeira é um espaço para explorar sentimentos e valores, assim como para desenvolver suas habilidades. A partir da brincadeira. Observamos que a exploração e a sequência lúdica dependem única e exclusivamente, de cada criança ou por vezes de um grupo de crianças dispostas a compartilhar o brincar. Através do brincar e a partir do sentimento que aflora em cada brincadeira a criança faz a leitura do mundo e aprende a lidar com ele, recria, repensa, imita desenvolvendo, além de aspectos cognitivos, bem como valores sociais, morais, tornando-se cooperativo, sociável e capaz de escolher seu papel na sociedade.

Quando a criança tem a oportunidade de escolha que inicia com o brincar ela exercita a sua liberdade e assim se torna uma criança mais observadora e critica.

A importância do contato com a Arte na Infância

A arte é importante na vida da criança, pois colabora para o seu desenvolvimento expressivo, para a construção de sua poética pessoal e para o desenvolvimento de sua criatividade, tornando-a um indivíduo mais sensível e que vê o mundo com outros olhos. Os seres humanos são dotados de criatividade e possuem a capacidade de aprender e de ensinar. A criatividade da criança precisa ser trabalhada e desenvolvida.

A criança tem a mente equivalente à do artista, pois ambos penetram com facilidade no universo da imaginação, do faz de conta, possuem o dom de fantasiar tudo. Assim, um simples traço pode se transformar em um lindo castelo. Tanto as crianças quanto os artistas percebem as coisas a sua volta de uma forma diferente e especial, pois sua percepção sensível lhes permite ressignificar o mundo por meio de configurações únicas.

A arte é vista e sentida de maneiras diferentes por crianças e adultos. Para o adulto está associada ao belo, às exposições, a museus, à estética. Já para a criança, a arte é uma forma de se expressar, pois a natureza da criança é lidar com o mundo de modo lúdico, fazer o que lhe dá prazer e satisfação. Por isso gosta tanto de brincar e desenhar. A criança faz o que lhe dá prazer e alegria, brincar e desenhar envolve-a por completo e, sempre que age, valoriza os seus desejos e as suas vontades. Sua criação focaliza a própria ação, o exercício e a repetição.

Um espaço que proporciona a experiencia da Arte por meio do brincar

Nesta perspectiva, O Museu da Imaginação criou uma exposição interativa, um convite a apreciação estética por meio do brincar. Um espaço que tem como objetivo principal, promover uma experiencia de estímulo à Arte onde as crianças poderão adquirir o hábito de apreciar obras de arte, conversar sobre elas, senti-las, brincar no entorno delas e até mesmo; sobre elas, iniciando, com isso, um processo de aprendizagem das artes e um estímulo à criação artística. Mais do que uma simples ferramenta para a aprendizagem, o brincar nesta proposta de experiencia interativa é compreendido como uma forma de construção do conhecimento onde as crianças entrarão em contato com a arte do artista Piet Mondrian sua contribuição à história da arte, defendendo o abstracionismo como linguagem reduzindo a forma e a cor às suas essências. Conhecerão tudo isso, por meio de experiências e sensações do sentir, tocar, escalar, montar, construir, imaginar, explorar, imaginar e criar. Você já imaginou brincar em um trepa-trepa inspirado na obra New York City, de Mondrian? Escorregar e escalar pelas figuras geométricas deste artista fascinante? Sim, este espaço propiciará estas aventuras e muito mais!!

Biografia: Piet Mondrian

Pieter Cornelis Mondriaan foi um importante pintor modernista holandês. Nasceu na cidade holandesa de Amersfoort em 7 de março de 1872 e faleceu em Nova Iorque, no dia 1 de fevereiro de 1944. Mondrian é o fundador da corrente artística conhecida como neoplasticismo. Desde jovem interessou-se por pintura, porém enfrentou a rejeição da família que era muito religiosa e encarava a arte como uma atividade pecaminosa.

 Lecionou arte por um período, porém insatisfeito com a profissão, resolveu dedicar-se à pintura.

 Entrou em contato, ainda jovem (a partir de 1908), com a Teosofia que influenciou muito sua visão de mundo e formação pessoal e artística.

 No início de sua carreira foi muito influenciado pelo impressionismo e naturalismo. Nesta fase, destacam-se as pinturas Árvores ao andar e O Moinho Vermelho.

Em 1913, foi conhecer a exposição de arte cubista na cidade de Amsterdã. Esta visita impressionou muito Mondrian e teve grande influência na formação de seu estilo artístico.

 Em 1917, junto com outros artistas, fundou a revista De Stijl.

Em 1930, entrou para o grupo "Cercle et carré" e no ano seguinte para o grupo "Abstração-Criação".

 Em 1938, esteve em Londres e, em 1940, foi para Nova Iorque, cidade em que ficou muito impressionado com o Jazz.

 

Principais características do estilo artístico de Mondrian:

Sua obra foi influenciada pelo pensamento teosófico.

 Foi influenciado também pelo naturalismo e impressionismo.

 Destacou-se com obras abstratas geométricas, principalmente trabalhando com formatos retangulares.

 Utilizou, em suas obras, principalmente cores primárias (vermelho, azul, branco, preto, amarelo). Mondrian considerava estas como as cores elementares do Universo. 

Quero meu ingresso para visitar o museu da imaginação